Qual a diferença entre realidade aumentada e realidade virtual? Descubra qual é e entenda as suas aplicações nos negócios

Se você é fã de tecnologia e principalmente de videogames, provavelmente já conhece a diferença entre realidade aumentada e a virtual. Não há como negar que o desenvolvimento de ambas se deve em muito aos jogos eletrônicos. Porém o uso da tecnologia não se limita a capturar monstros de bolso ou embarcar em um mundo fictício inspirado no Velho Oeste. Negócios na área de varejo e ecommerce, por exemplo, já estão investindo pesado em AR e VR.

Isso se reflete no crescimento do setor. Em 2016, ano no qual a tecnologia começou a ganhar força, o mercado estava avaliado em 6,1 bilhões de dólares. Ao fim de 2018, a área de tecnologia virtual e aumentada foi avaliada em 27 bilhões, como mostrado nesse gráfico do Statista.

Para entender melhor os conceitos e qual a diferença entre realidade aumentada e realidade virtual, falamos abaixo sobre como ambas as tecnologias funcionam, aplicações em negócios atuais e futuras possibilidades, além de um prospecto sobre esse mercado para os próximos anos.

Qual a diferença entre realidade virtual e realidade aumentada?

Por conta da semelhança entre os nomes, é comum ocorrer algum tipo de confusão ou acreditar que são sinônimos. Porém, a realidade aumentada e a realidade virtual funcionam de forma completamente distintas.

A realidade aumentada – augmented reality, em inglês – expande o que já está vendo pela tela de um aparelho, normalmente o smartphone.

Lembra do fenômeno Pokémon Go e dos monstrinhos que apareciam em qualquer canto da tela enquanto andava pela rua? Essa era a tecnologia de realidade aumentada sendo aplicada a um videogame.

Outro exemplo são as próprias máscaras nos Stories do Facebook ou Snapchat. Ao apontar a câmera para fazer uma selfie, diversas máscaras aparecem, como as icônicas orelhas de cachorro. Essa é uma das maneiras fora dos jogos eletrônicos de usar a realidade aumentada.

Já a realidade virtual não expande o que está a ver pela tela do celular. Ao invés disso, ela te transporta para uma outra realidade artificial. Vem daí o nome virtual reality (VR).

Ou seja, você pode estar na sua sala e, ao mesmo tempo, estar descendo uma montanha-russa ou explorando uma versão virtual do seu shopping favorito. E o melhor: sem os esbarrões e a lotação, especialmente durante feriados ou épocas festivas.

Aplicações e usos da realidade virtual e realidade aumentada

Citamos a experiência de andar por um shopping virtual sem os incômodos de sair de casa como exemplo da tecnologia de VR. Mas não demos esse exemplo à toa. Atualmente já existem lojas virtuais criadas com a tecnologia.

No Reino Unido, a grife Karen Millen criou uma versão virtual de sua principal loja. Funcionando 24 horas por dia, qualquer um com um aparelho de realidade virtual pode acessar, conhecer as peças de moda e comprar diretamente do aparelho sem sair de casa.

Não se surpreenda se, daqui a poucos anos, pudemos ter a experiência de um shopping inteiro com a mesma comodidade.

Outra solução bastante original na área de moda foi criada por uma pequena empresa que vende chapéus chamada Tenth Street Hats. Em parceria com uma empresa especializada em AR, eles criaram um aplicativo que usa a tecnologia para que seus clientes experimentem seus chapéus antes mesmo de comprá-lo usando apenas a câmera frontal do smartphone para isso, como mostrado nesse artigo.

Como pôde ver acima, não é apenas o setor de tecnologia e games que se beneficiam da realidade virtual e aumentada. Mas vamos um pouco além: e os tradicionais supermercados, como poderiam usar o AR e VR?

Existem duas maneiras para isso, uma da perspectiva do consumidor e outra do próprio supermercado. Um cliente pode usar a câmera do smartphone em conjunto com um app da empresa. Ao apontar a câmera para um produto na prateleira, ele pode receber informações como descrição, preço, data de fabricação e validade, por exemplo.

O desenvolvimento da tecnologia já é uma realidade, como demonstrado pela empresa britânica Dent Reality.

Com os dados obtidos pelo app, o supermercado pode fazer diferentes avaliações. Entre elas, como o consumidor reage em relação às informações sobre um produto, qual a descrição que está atraindo mais vendas e até mesmo a ordem no qual eles visualizam os produtos no estabelecimento.

Ou seja, poderá estudar os hábitos de consumo dos diferentes tipos de clientes de maneira ágil e rápida, facilitando o processo de análise e criação de novas campanhas e estratégias.

Combinado com tecnologias como a inteligência artificial e machine learning, talvez não seja necessário nem mesmo pensar em uma estratégia. O próprio aplicativo irá criar e apresentar soluções para aumentar as vendas do mercado. Imagina só o quanto a tecnologia poderá aumentar a produtividade do seu setor?

Qual o futuro das tecnologias?

A realidade virtual não é uma tecnologia nova. Desde a década de 80, experimentos eram feitos na área. Mas, após a chegada do Oculus Rift e dos apps de realidade aumentada, hoje já é seguro dizer que ambas chegaram para ficar.

Todas as previsões entre 2020 e 2024 apresentam um crescimento exponencial no mercado de AR e VR. Algumas, como a que mostramos no início do artigo, são bem otimistas, prevendo um valor de mercado de 209 bilhões de dólares para 2024, quase dez vezes mais que o valor atual.

Outras já demonstram um crescimento mais tímido, mas ainda assim expressivos. A ResearchandMarkets.com estima faturamento de $55 bilhões no setor. Eles justificam que o crescimento no mercado será impulsionado pelos avanços na conexão 5G e inteligência artificial, que deverão possibilitar novas experiências nesses ambientes virtuais.

Supõe-se também que a realidade aumentada crescerá muito mais que a virtual. O que não é difícil de prever, já que é possível usá-la apenas com a câmera do smartphone.

Já a realidade virtual exige que o consumidor tenha um aparelho dedicado, como o Oculus Rift ou o PlayStation VR. Ambos não possuem um valor acessível para mercados abaixo do C, o que não acontece na área de realidade aumentada.

O site BusinessWire estima crescimento estimado de $65 bilhões no mercado de AR, enquanto o de realidade virtual crescerá cerca de $34 bilhões. Por outro lado, vale considerar que as tecnologias VR devem se tornar mais acessíveis a cada ano que passe, podendo crescer além do esperado.

Aprenda como usar realidade aumentada e virtual para aumentar suas vendas!

Acreditamos que não haja mais dúvidas sobre o futuro já estabelecido da tecnologia de realidade virtual. Agora que entende como cada uma funciona e as principais diferenças entre elas, chegou a hora de aprender como usá-las em seu negócio!

Por isso, confira nosso artigo dedicado às melhores práticas de vendas com realidade virtual e aumentada!

Achou esse artigo útil? Então compartilhe!

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email
Share on print

Cadastre-se gratuitamente para receber nosso conteúdo

© 2019 – Blog DTM Tec

Criado pela Kamus